GOVERNO DIGITAL E UM NOVO PARADIGMA DE RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE: A IMPLANTAÇÃO DA CARTEIRA DE TRABALHO DE DIGITAL

Ricardo de Souza Moreira

Resumo


Este artigo é um recorte da Dissertação de Mestrado intitulada “Governo Digital e um Novo Paradigma de Relacionamento com a Sociedade: A implantação da Carteira de Trabalho Digital”, que se dedicou ao estudo dos resultados desse aplicativo do governo federal no contexto da prestação de serviços públicos por meio de plataformas digitais. O trabalho buscou responder à pergunta de pesquisa: como a prestação de serviços públicos por meio da Carteira de Trabalho Digital favorece o uso desses serviços pelo cidadão? A fim de confirmar ou refutar a hipótese de que a prestação de serviços por meio da Carteira de Trabalho Digital facilita o acesso e resulta no aumento do uso desses serviços pelo cidadão, o estudo teve o objetivo geral de compreender os efeitos da prestação de serviços públicos digitais no País e examinar a Carteira de Trabalho Digital em seu primeiro ano de implantação, o qual compreende o período de setembro de 2019 a setembro de 2020. A metodologia empregada foi a pesquisa de estudo de caso, mediante o uso de múltiplas fontes de evidência (documentação e registros em arquivos), conforme preconizado por Yin (2015). A documentação examinada consistiu em relatórios de pesquisa com usuários, enquanto os registros em arquivos envolveram: os comentários postados na loja de aplicativos Google Play, os registros dos dados relativos aos pedidos de Seguro-Desemprego e os registros do serviço de indicação de divergências de informações constantes Carteira de Trabalho Digital, do período de setembro de 2019 a setembro de 2020. O estudo, além de corroborar a hipótese de pesquisa, sugere que o telefone celular deve ser o dispositivo preferencial para a prestação de serviços públicos digitais, uma vez que é o principal canal de acesso à Internet no País, indica que: i) o atendimento presencial caiu de 97% em outubro de 2019 para 24% em maio de 2020;  ii) a participação da Carteira de Trabalho Digital cresceu de 1%, em outubro de 2019, para 62% em maio de 2020; iii) o uso do serviço de acompanhamento da vida laboral e indicação de divergências cresceu 1.063%, desde a implantação do serviço; iv) os entrevistados atribuíram a nota média de 8,45 (escala de 0 a 10) ao aplicativo da Carteira de Trabalho Digital e que 80%  são favoráveis à substituição da Carteira de Trabalho em papel pela versão digital; e v) a facilidade de uso e de acesso às informações da vida laboral estão entre as principais razões para a avaliação positiva do aplicativo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à