AQUISIÇÃO DE CONCORRENTES NASCENTES OU KILLER ACQUISITIONS EM MERCADOS DIGITAIS

UMA ANÁLISE DE UMA DÉCADA DE AQUISIÇÕES PELAS BIG TECHS

Autores

  • Thales De Melo e Lemos

Resumo

O relevante número de aquisições realizadas por empresas dominantes, como Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft (GAFAM), em mercados digitais, tem suscitado preocupações relacionadas à possível eliminação da concorrência potencial e nascente, com prejuízos à inovação. Ainda, estudiosos e autoridades apontam para o risco de estarem ocorrendo killer acquisitions, isto é, aquisições que visam unicamente encerrar o desenvolvimento de concorrentes jovens e inovadoras e evitar perda de mercado. Com base nessas preocupações, proliferam-se propostas de reformas ao controle de concentrações de diversas jurisdições, que estariam sendo demasiadamente permissivos. Por outro lado, ainda há controvérsias importantes e poucos estudos sistematizados sobre o assunto. Ainda, o prospecto de aquisição por uma incumbente representa uma estratégia de saída importante para boa parte das startups, possivelmente motivando a inovação. Dito isso, o presente trabalho buscou avaliar, com base em pesquisa teórica e empírica, se as ocorrências de aquisições de concorrentes nascentes e killer acquisitions nos mercados digitais não são, na verdade, muito escassas, o que justificaria mais cautela nos pedidos por reformas. Para tanto, inicialmente foram definidos mais rigorosamente os conceitos de concorrência potencial, concorrência nascente e killer acquisition. Na sequência, foram levantadas e classificadas todas as aquisições realizadas pelas empresas do GAFAM entre 2009 e 2018, levando em conta, por exemplo, a idade das empresas adquiridas, suas principais atividades e se foram encerradas após a aquisição. Com base no levantamento, percebe-se que a maioria das aquisições não tinha um elemento horizontal claro, indicando que as empresas do GAFAM adquirem, em muitos casos, apenas insumos, talentos ou produtos complementares aos seus próprios, sendo provavelmente aquisições verticais e que tendem a levantar menos preocupações concorrenciais. Entretanto, também foram identificadas possíveis aquisições de concorrentes nascentes e killer acquisitions, que foram analisadas em mais detalhes. Ao final, o trabalho sugere reformas pontuais, balanceando a proteção à concorrência com o risco de prejudicar, desnecessariamente, a inovação e a livre iniciativa.

Downloads

Publicado

2022-04-13

Como Citar

De Melo e Lemos, T. (2022). AQUISIÇÃO DE CONCORRENTES NASCENTES OU KILLER ACQUISITIONS EM MERCADOS DIGITAIS: UMA ANÁLISE DE UMA DÉCADA DE AQUISIÇÕES PELAS BIG TECHS. Revista Debates Em Economia Aplicada, 1(3). Recuperado de https://www.portaldeperiodicos.idp.edu.br/redea/article/view/6384

Edição

Seção

Artigos