A DINÂMICA DA COMPOSIÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO DO GOVERNO DE BRASÍLIA: UM ESTUDO DE CASO NA CASA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

PATRÍCIA FERREIRA MOURA DE SOUZA

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo identificar a dinâmica da composição da força de trabalho do Governo de Brasília, entre os anos de 2016 a 2019, traçando os diferentes perfis dos servidores lotados na Casa Civil do DF, em razão do cargo (efetivo e sem vínculo) e do status (cedidos, requisitados), considerando, variáveis como: o número de servidores, o gênero, a faixa etária, o tempo de serviço e a formação acadêmica. Tratase de uma pesquisa exploratória, cujo método de pesquisa adotado foi o estudo de caso com fundamento em pesquisa bibliográfica, análise documental, registros em arquivos e entrevista em profundidade. A adoção dessa dinâmica permitiu convergir as fontes de evidência, validar os constructos e produzir conhecimentos qualitativos e quantitativos acerca da força de trabalho onde se pôde concluir: i) queda de 20,15% na quantidade dos servidores; ii) redução de afastamento de servidores efetivos (83,33%), sem vínculo (80%) e cedidos (70,27%); iii) aumento de servidores sem vínculo (5,33%); iv) maior queda no número de servidores do sexo masculino (27,54%) em relação aos do sexo feminino (9,94%); v) servidores efetivos possuem maior concentração na faixa de 5 a 14 anos de serviço, enquanto servidores sem vínculo é de 1 a 5 anos; vi) 50,34% dos servidores sem vínculo efetivo possuem Ensino Superior Completo e 90% dos servidores com Mestrado são servidores efetivos; e vii) servidores efetivos representam 15,22%, 9,32% e 75,47% da lotação no nível estratégico, tático e operacional e os servidores sem vínculo efetivo 16,13%, 34,59 e 49,27%, respectivamente.
Palavras chave: Força de trabalho, Perfil do


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à