MITOS E EVIDÊNCIAS SOBRE A PRIMEIRA RECESSÃO DA NOVA DÉCADA

Omar Barroso Khodr

Resumo


O pessimismo sobre o futuro econômico em 2019, foi marcado pelo lento processo do Brexit, a estagnação Europeia pelo afrouxamento quantitativo e corte das taxas de depósito para -0.5% e o aumento das importações nos EUA causadas pela guerra comercial. Outros fatores geopolíticos como a ascensão de líderes populistas e conflitos no oriente médio também contribuíram para uma reflexão negativa de agentes econômicos, que resultou em uma inversão da curva de rendimentos (yield curve) em março de 2019. Apesar de não existirem ainda evidências causais entre a inversão da curva e recessões existe uma correlação histórica durante o século XX que demonstra nítidos padrões entre a inversão da curva seguida por crises financeiras. Este fenômeno preocupou mercados, economistas e investidores com a probabilidade de uma iminente grande recessão para 2020, no qual refletiu em apresentações ‘ansiosas’ na mídia especializada sobre sinais prematuros de um estado de tensão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à