REFLEXÕES ACERCA DAS CONTRADIÇÕES ENTRE DEMOCRACIA E NEOLIBERALISMO

Loiane Prado Verbicaro

Resumo


O artigo, por intermédio de pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa, analisa as vulnerabilidades e contradições entre a democracia como forma política e o neoliberalismo como sistema de acumulação, em razão da incompatibilidade de implementação de uma agenda igualitária e baseada na ampliação da cidadania, que são promessas democráticas, com uma atuação mercadológica e econométrica que se concilia com os interesses da plutocracia financeira, como diretrizes perseguidas pelo neoliberalismo que, longe de implementar um Estado mínimo, viabiliza uma atuação vigilante, por intermédio de uma ação forte e estratégica, de efeito potencializador, em favor do mercado. A política de austeridade fiscal, projetada para financiar cortes de programas sociais e de pesquisas científicas, promover flexibilização de direitos e conceder subsídios às empresas, torna-se incompatível com a promessa democrática de inclusão socioeconômica. O aprofundamento da agenda neoliberal no Brasil fragilizou os valores democráticos, bem como o enfrentamento de uma crise sanitária na escala da pandemia do coronavírus.


Palavras-chave


Crise democrática; neoliberalismo; repúdio ao social.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer. O poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

AGAMBEN, Giorgio. La invención de uma epidemia. In: Sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporáneo en Tiempos de Pandemias. Buenos Aires: Pablo Amadeu Editor. Editorial ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

Agência Senado. Brasil tem 48% da população sem coleta de esgoto, diz Instituto Trata Brasil. 2020. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/09/25/brasil-tem-48-da-populacao-sem-coleta-de-esgoto-diz-instituto-trata-brasil. Acesso em: 10 jul. 2020.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BADIOU, Alain. La situación epidémica. In: Sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporáneo en Tiempos de Pandemias. Buenos Aires: Pablo Amadeu Editor. Editorial ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

BELLO, Enzo; BERCOVICI, Gilberto; LIMA, Martonio Barreto. O fim das ilusões constitucionais de 1988? Revista Direito e Práxis, Ahead of print, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/37470/26483. Acesso em: 03 de jul. 2020.

BOÉTIE, La. Discurso sobre a servidão voluntária. Lisboa: Antígona, 2016.

BROWN, Wendy. Nas ruínas do neoliberalismo: a ascensão da política antidemocrática no ocidente. São Paulo: Politéia, 2019.

BUTLER, Judith. El capitalism tiene sus limites. In: Sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporáneo en Tiempos de Pandemias. Buenos Aires: Pablo Amadeu Editor. Editorial ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

COSTA, Marta Nunes. A Crise Democrática. In: ROSAS, João Cardoso (Org.). Filosofia Política. Coimbra: Almedina, 2019.

CASARA, Rubens. Estado Pós-Democrático. Neo-obscurantismo e gestão dos indesejáveis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CHAVES, Ernani. Homo Economicus e o empresário de si: subjetivações (im) postas pelo neoliberalismo. In: Aula Inaugural. Filosofia UNISINOS, 2018.

CROUCH, Colin. Posdemocracia. Madrid: Taurus, 2004.

CUNNINGHAM, Frank. Teorias da Democracia. Uma Introdução Crítica. Porto Alegre: Artmed, 2009.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A Nova Razão do Mundo. Ensaio sobre a Sociedade Neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DWORKIN, Ronald. La democracia posible: princípios para um novo debate político. Barcelona: Paidós Ibérica, 2008.

FERREIRA, António Casimiro. Política e Sociedade. Teoria social em tempo de austeridade. Porto: Vida Económica, 2016.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2018.

FREEDOM HOUSE. Freedom House in the World 2017. 2017. Disponível em: https://freedomhouse.org/report/freedom-world/2018/united-states. Acesso em: 09 jul. 2020.

HAMILTON, Alexander; MADISON, James e JAY, John. O Federalista. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

HAN, Byung-Chul. La emergência viral y el mundo de mañana. In: Sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporáneo en Tiempos de Pandemias. Buenos Aires: Pablo Amadeu Editor. Editorial ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.

HARVEY, David. A Brief History of Neoliberalism. Oxford University Press, 2005.

HAYEK, Friedrich. Camino de Servidumbre. Madrid: Alianza Editorial, 2011.

HOLSTON, James. Cidadania Insurgente. Disjunções da democracia e da modernidade no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

KYMLICKA, Will. Filosofia Política Contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

LEVITSKY, Steven; ZIBLATT, Daniel. Como as Democracias Morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

LIPOVETSKY, Gilles. O Império do Espetáculo e do Divertimento. In: LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A Estetização do Mundo: Viver na Era do Capitalismo Artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MBEMBÉ, Achille. Necropolítica - biopoder, soberania, estado de exceção política da morte. Arte & Ensaios. Revista do PPGAV/EBA/UFRJ. n. 32 dezembro, 2016. Disponível em:

https://www.procomum.org/wp-content/uploads/2019/04/necropolitica.pdf. Acesso em 25 Jun. 2020.

MELO, Marcos André. A malaise política no Brasil: Causas reais e imaginárias. Journal of democracy, São Paulo, v. 6, n. 2, pp. 69-95, out, 2017.

MISES, Ludwig Von. Liberalismo. São Paulo: Instituto Von Mises, 2010.

MOUNK, Yascha. O povo contra a democracia: por que nossa liberdade corre perigo e como salvá-la. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

NOZICK, Robert. Anarquia, Estado e Utopia. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

NUSSBAUM, Martha. Sem fins lucrativos. Por que a democracia precisa das humanidades. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

RANCIÈRE, Jacques. O ódio à democracia. São Paulo: Boitempo, 2014.

RUNCIMAN, David. Como a Democracia chega ao fim. São Paulo: Todavia, 2018.

SAAD FILHO, Alfredo; MORAIS, Lecio. Brasil: Neoliberalismo versus Democracia. São Paulo: Boitempo, 2018.

SAFATLE, Vladimir. Bem-vindo ao Estado Suicidário. In: O Jornal de Todos os Brasis. Publicado na Edição de 25 de março de 2020.

SANTOS, Wanderley Guilherme. A Democracia impedida. O Brasil no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

SCHUMPETER, Joseph. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura Econômica, 1961.

SCHWARCS, Lilia. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

SCHWARCS, Lilia. 100 dias que mudaram o mundo. Entrevista publicada no Universa, em 5 de abril de 2020.

STREECK, Wolfgang. Tempo Comprado. A crise adiada do capitalismo democrático. São Paulo: Boitempo, 2018.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A Democracia na América. São Paulo: Folha de São Paulo, 2010.

TILLY, Charles. Democracia. Petrópolis: Vozes, 2013.

VERBICARO, Loiane Prado; FADEL, Anna Laura Maneschy. O Modelo de Democracia à luz da Teoria de Ronald Dworkin. In: Revista Unicuritiba. Curitiba. Vol. 03, N. 52, 2018. Disponível em: http://revista.unicuritiba.edu.br/index.php/RevJur/article/view/3058. Acesso em: 03 de abr. 2020.

VERBICARO, Loiane Prado. A pandemia e o colapso do neoliberalismo. In: Voluntas: Revista Internacional de Filosofia. Santa Maria, vol. 11, p. 1-9, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/voluntas/article/view/43490/pdf_1. Acesso em: 03 de jul. 2020.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. Vivemos um totalitarismo financeiro, em que tudo é justificado pelo mercado. In: Folha de São Paulo. Edição de 15 de março de 2020.

ZIZEK, Slavoj. El coronavirus es um golpe al capitalismo a lo Kill Bill. In: Sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporáneo en Tiempos de Pandemias. Buenos Aires: Pablo Amadeu Editor. Editorial ASPO (Aislamiento Social Preventivo y Obligatorio), 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Direito Público

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.
Associada e indexada à